Pular para o conteúdo principal

III SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS DE HISTÓRIA E CULTURAS AFRO-BRASILEIRAS E INDÍGENAS (Campina Grande/PB 16 a 19/11)

Comentário DM:
Segue um interessante evento que tratará a questão indígena no contexto da lei 11.465. Embora não trate diretamente da lei, o conteúdo parecer ser útil para os que trabalham questões ligadas a esta temática.
A lamentar somente a falta de intelectuais indígenas nas mesas de exposições. Também não há, aqui, nenhuma ementa sobre o evento. Outras informações no site abaixo:
______________________________________________________________________

Programação


16 DE NOVEMBRO DE 2010 (TERÇA-FEIRA)
Endereço: Rua Antônio Guedes de Andrade 190
Catolé – Campina Grande (CEDUC I)
08:30 às 11:30 – Credenciamento
Grupo de Capoeira com Aldo Morcego
Exposição: África Inspiração
Pintor: Leonardo Pontes
Exposição Fotográfica
Profa. Dra. Lúcia de Fátima Júlio (disponível durante todo o evento)
Exposição de Arte em Isopor
Tiago Herculano da Silva (disponível durante todo o evento)
14:00 às 18:00 - Oficinas
18:30 às 19:00 - Solenidade de abertura 
Apresentação da Banda Filarmônica
19:30 - Conferência de abertura: Lei federal 10.639/03: os desafios da promoção de igualdade racial na educação.
Conferencista: Prof. Dr. Paulino de Jesus Fragoso (UDESC)
Coordenadora: Profa. Dranda. Margareth Maria de Melo (UEPB/UERJ)

17 DE NOVEMBRO DE 2010 (QUARTA-FEIRA)
08:00 às 08:30 - Grupo África Brasil (coordenação: Lucia de Fátima Júlio)
08:30 às 10:00 - Palestra: A educação para inter-relação étnico religiosa: em busca da tolerância e da paz
Palestrante: Dom José Maria Pires
Coordenador: Prof. Dr. José Benjamin Pereira Filho (UEPB)
10:30 às12:00 - Mesa-redonda: Diálogo entre culturas: perspectivas para pensar a educação afro-brasileira e indígena
Profa. Dra. Rita Gomes do Nascimento (CNE/CEBE/CNPC)
Profa. Dra. Mirian de Albquerque Aquino (UFPB)
Prof. Dr. Elio Chaves Flores (UFPB)
Profa. Doutoranda. Ivonildes da Silva Fonseca (UEPB)
Prof. Msc. José Pereira Júnior (UEPB/UFCG) (mediador)
14:00 às 16:00 - Espaços de diálogo
16:15 às 18:15 - Minicursos
18:30 - Apresentação Voz e Violão com Juliana Soares
18:30 às 20:30 – Minicursos Noturnos
19:30 - Mesa-redonda: O ensino da história e cultura africana e afro-brasileira na escola: modos e formas de inclusão
Profa. Dra. Rosilda Alves Bezerra (UEPB) (mediadora)
Prof. Dr. Paulo Vinicius Batista da Silva (UFPR/ANPED)
Prof. Dr. Jocélio Teles dos Santos (UFBA/CEAO)
Prof. Dr. Luiz Tomás Domingos (UFPB)
Prof. Dr. Waldeci Ferreira Chagas (UEPB)

18 DE NOVEMBRO DE 2010 (QUINTA-FEIRA)
08:00 às 08:30 - Apresentação do Grupo Maracagrande
08:30 às 10:00 - Painel: A diversidade cultural na escola: o lugar dos afro-brasileiros e indígenas
Profa. Msc. Maria Gudmar dos Santos (Fórum da Diversidade Etnicorracial)
Sra. Eliane Bento da Silva (Comunidade do Matias) Caboclinho
Profa. Msc. Maria do Socorro Pimentel (MNU-PB)
Profa. Dra. Lúcia de Fátima Júlio (Secretaria de Educação de Alagoa Grande)
Profa. Maria Luiza Inácio Pereira (MNU-PB)
Prof. Msndo Euclides Ferreira da Costa (Centro de Cultura Zumbi dos Palmares/UFPE)
Profa. Dranda Margareth Maria de Melo (UEPB/UERJ) (mediadora)
10:30 às 12:00 Mesa-Redonda: Experiências quilombolas, indígenas e de terreiro: educação, religiosidade e políticas públicas
Sra. Mãe Renilda Yá Doné de Oxossi (Ilé Tata do Axé/FICAMB)
Profa. Dra. Elizabeth Christina de Andrade Lima (UFCG)
Prof. Dr. José Antonio Novaes da Silva (UFPB)
Profa. Dra. Maria Lindaci Gomes de Souza (UEPB) (mediadora)
14:00 às 16:00 - Espaços de diálogo
16:15 às 18:15 - Minicursos
18:30 – Voz e violão com Ari Rodrigues e Edvânia Aguiar
18:30 às 20:30 – Mini cursos Noturnos
19:30 Mesa-Redonda: A lei 10.639 e a história e cultura afro-brasileira e africana na educação
Profa. Dra. Vanda Lúcia Praxedes (UFMG)
Profa. Dra. Dayse Cabral Moura (UFPE)
Prof. Dr. Amauri Mendes Pereira (UEZO)
Prof. Dr. Luciano Mendonça (UFCG)
Prof. Dr. Jomar Ricardo da Silva (UEPB) (mediador)
19 DE NOVEMBRO DE 2010 (SEXTA-FEIRA)
08:00 às 08:30 - Cerimônia do Toré com as Comadres da Aldéia
Lagoa do Mato
08:30 às 10:00 Palestra: Povos indígenas: o direito ao reconhecimento as diferenças.
Palestrante: Prof. Dr. Edson Hely Silva (UFPE)
Coordenador: Prof. Dr. Josemir Camilo de Melo (UEPB)
10:30 às 12:00 - Mesa-redonda: Educação escolar indígena: dilemas e perspectivas
Profa. Dra. Mercia Rejane Rangel Batista (UFCG)
Profa. Dranda Hellen Cristina Picanço Simas (FEPEAM/UFPB)
Prof. Dr. Renato Monteiro Athias (UFPE)
Profa. Dra. Maria Luiza Fernandes (UFCG)
Profa. Dra. Juciene Ricarte Apolinário (UFCG) (mediadora)
14:00 às 16:00 Espaços de diálogo
16:15 às 18:15 Minicursos
18:30 às 20:30 - Minicursos Noturnos
18:30 - Grupo de Teatro e capoeira Virgínia Passos
* Maiores informações:
contato@neabiuepb.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

MINHA VÓ FOI PEGA A LAÇO

MINHA VÓ FOI PEGA A LAÇO Pode parecer estranho, mas já ouvi tantas vezes esta afirmação que já até me acostumei a ela. Em quase todos os lugares onde chego alguém vem logo afirmando isso. É como uma senha para se aproximar de mim ou tentar criar um elo de comunicação comigo. Quase sempre fico sem ter o que dizer à pessoa que chega dessa maneira. É que eu acho bem estranho que alguém use este recurso de forma consciente acreditando que é algo digno ter uma avó que foi pega a laço por quem quer que seja. - Você sabia que eu também tenho um pezinho na aldeia? – ele diz. - Todo brasileiro legítimo – tirando os que são filhos de pais estrangeiros que moram no Brasil – tem um pé na aldeia e outro na senzala – eu digo brincando. - Eu tenho sangue índio na minha veia porque meu pai conta que sua mãe, minha avó, era uma “bugre” legítima – ele diz tentando me causar reação. - Verdade? – ironizo para descontrair. - Ele diz que meu avô era um desbravador do sertão e que um dia topou com uma “tribo” sel…

Garimpo invade bacia do Tapajós

por


Os riscos apontados para a bacia do Tapajós deixam claro que a região amazônica, apesar do aumento nos índices de queda no desmatamento, continua a ser tratada como o grande almoxarifado de recursos naturais do planeta. As ações planejadas para a maior bacia hidrográfica do mundo não se restringem a planos de construção de uma sequência de usinas rios adentro. Bastou o governo informar que parte das terras que pertenciam às unidades de conservação da Amazônia havia sido desvinculada das áreas protegidas para que se tornassem alvo de ações de garimpo e extrativismo ilegal. A reportagem é de André Borges e publicada pelo jornal Valor, 26-07-2012. A pressão cresceu e o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) tem procurado controlar a situação e deter a entrada de pessoas na região, mas seu poder de atuação ficou reduzido, porque está restrito às áreas legalmente protegidas. “Com a desafetação (redução) das áreas, muita gente está se mexendo para…

Daniel Munduruku, índio e escritor

Postado no Blog da TV CULTURA
28/07/2009 | 18h00 | Mariana Del Grande

Daniel Munduruku é o maior escritor indígena do Brasil. Graduado em Filosofia e doutorando em Educação na Universidade de São Paulo, ele tem 34 livros publicados e seu nome ocupa as prateleiras das melhores livrarias do país.

Diferente da maioria dos índios, que ainda lutam para derrubar conceitos antiquados em relação as suas culturas e tentam conseguir espaço para mostrar as tradições, Daniel Munduruku vive da literatura indígena e conseguiu um feito inédito: seus livros são adotados em diversas escolas públicas e particulares de todo o país! Um passo gigante em direção ao futuro: nossas crianças já começam a conhecer o índio de verdade, ao invés daquele ser nu, limitado e inferior que, durante cinco séculos, povoou a imaginação da sociedade brasileira.

Leia abaixo alguns trechos da entrevista que Daniel Munduruku concedeu ao Blog do A’Uwe por e-mail.



Visite o site do escritor: www.danielmunduruku.com.br

Em breve a Loja…