Pular para o conteúdo principal

MinC divulga lista das personalidades agraciadas na OMC

Prezados amigos e amigas,
Com alegria comunico que meu nome foi indicado para receber a Ordem do
Mérito Cultural da Presidência da República na categoria Grã-Cruz (uma
vez que já sou Comendador rsrs).
A entrega da comenda será nesta terça feira, dia 05 de novembro (dia
nacional da cultura) no auditório do Ibirapuera.
Gostaria de agradecer a todos e todas que indicaram meu nome para
receber esta honraria que, penso, é fruto de um trabalho iniciado
pelos sábios ancestrais e continuado por nós tod@s.
Grande e festivo abraço


Xipat Oboré (Tudo de Bom!)
______________
Daniel Munduruku
www.institutouka.blogspot.com
www.danielmunduruku.blogspot.com
Currículo Lattes:
http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4125109E0


MinC divulga lista das personalidades agraciadas na OMC

Em 2013, 37 personalidades serão agraciadas pelo Ministério da Cultura na Ordem do Mérito Cultural (OMC). Esse evento acontece todos os anos desde 1995 e foi instituído por um decreto presidencial. O principal intuito é reconhecer personalidades que tenham contribuído à cultura brasileira. Os nomes foram publicados nesta sexta-feira (25) no Diário Oficial da União. As homenagens e entrega das medalhas será no dia 05 de novembro de 2013, em São Paulo, no auditório Ibirapuera. Este ano, os homenageados na OMC serão o arquiteto Oscar Niemeyer e a artista plástica Tomie Ohtake.

A escolha dos nomes foi realizada a partir de indicação da sociedade civil. Os apontados foram avaliados por uma comissão técnica, constituída por gestores das secretarias do Ministério da Cultura, que emite parecer conclusivo antes de encaminhá-los à consideração do Conselho da Ordem do Mérito Cultural. Integram o Conselho da OMC, a ministra de Estado da Cultura, que o preside na qualidade de chanceler, e os ministros de Estado das Relações Exteriores, da Educação e da Ciência e Tecnologia.

A OMC é concedida anualmente desde 1995 – ano em que foi instituído por meio de decreto – e a data do prêmio é escolhida em comemoração ao Dia Nacional da Cultura (05.11).

 Confira a lista das personalidades que serão homenageadas:

ADMITIR,

NA CLASSE GRÃ-CRUZ:
Eleazar Segundo Afonso De Carvalho, centenário – in memoriam;
Henrique De Souza Filho (Henfil) -in memoriam;
Juvenal De Holanda Vasconcelos (Naná Vasconcelos);
Roberto Pires - in memoriam;
Rubem Braga,Centenário - in memoriam;
Antônio da Silva Fagundes Filho (Antônio Fagundes);
Sérgio Duarte Mamberti (Sérgio Mamberti) e
Walter Torreggiani Pinto (Walter Pinto),Centenário - in memoriam;

NA CLASSE COMENDADOR:
Antonio Abujamra;
Lucy Villela Barreto Borges (Lucy Barreto);
Marlos Mesquita Nobre De Almeida (Marlos Nobre);
Nilcemar Nogueira e
Ronaldo Correia De Brito.

NA CLASSE CAVALEIRO:
Antonio Hélio Cabral (Hélio Cabral);
Bárbara Raquel Paz (Bárbara Paz);
Erasmo Esteves (Erasmo Carlos);
Ivan Guimarães Lins (Ivan Lins);
Maria Adelaide De Almeida Santos Do Amaral (Maria Adelaide Amaral);
Maria De Lourdes Cândido Monteiro (Maria Cândido);
Mira Maria Haar (Mira Haar);
Paulo Roberto Borge Jorge (Paulo Borges);
Rosa Maria Dos Santos Alvez (Rosinha) e
Waldoneide Garcia Marques (Walda Marques).

SEM GRAU DE CLASSE
Associação de Sambadores e Sambadeiras do Estado da Bahia;
Sociedade Junina Bumba Meu Boi da Liberdade;
Associação Cultural Bloco Carnavalesco Ilê Ayê;
Grupo Dança 1º Ato;
Grupo Gay da Bahia e
Maracambuco Fã Clube Batuque da Nação – Grupo Maracambuco.

PROMOVER,

NA CLASSE GRÃ-CRUZ:
Carlos José Fontes Diegues (Cacá Diegues);
Daniel Monteiro Costa (Daniel Munduruku);
Euzébia Silva De Oliveira (Dona Zica),centenário - in memoriam;
José Alves Antunes Filho (Antunes Filho);
Maurice Carlos Capovilla (Carlos Capovilla);
Paulo Archias Mendes Da Rocha; E
Tomie Ohtake,centenário e

NA CLASSE COMENDADOR
Laerte Coutinho (Laerte)


    Postagens mais visitadas deste blog

    MINHA VÓ FOI PEGA A LAÇO

    MINHA VÓ FOI PEGA A LAÇO Pode parecer estranho, mas já ouvi tantas vezes esta afirmação que já até me acostumei a ela. Em quase todos os lugares onde chego alguém vem logo afirmando isso. É como uma senha para se aproximar de mim ou tentar criar um elo de comunicação comigo. Quase sempre fico sem ter o que dizer à pessoa que chega dessa maneira. É que eu acho bem estranho que alguém use este recurso de forma consciente acreditando que é algo digno ter uma avó que foi pega a laço por quem quer que seja. - Você sabia que eu também tenho um pezinho na aldeia? – ele diz. - Todo brasileiro legítimo – tirando os que são filhos de pais estrangeiros que moram no Brasil – tem um pé na aldeia e outro na senzala – eu digo brincando. - Eu tenho sangue índio na minha veia porque meu pai conta que sua mãe, minha avó, era uma “bugre” legítima – ele diz tentando me causar reação. - Verdade? – ironizo para descontrair. - Ele diz que meu avô era um desbravador do sertão e que um dia topou com uma “tribo” sel…

    Abordagem da cultura indígena nas obras de Daniel Munduruku

    por Fernanda Faustino | 08/01/2013 Daniel Munduruku: “Meu interesse ao escrever um livro é dialogar com crianças e jovens. Procuro encontrar um cantinho na cabeça deles” “Meu interesse ao escrever um livro é dialogar com crianças e jovens. Procuro encontrar um cantinho na cabeça deles”, diz Daniel Munduruku, escritor indígena graduado em filosofia e educador social, ao abordar a reprodução da cultura indígena e o processo de criação de suas obras. Com mais de 40 livros publicados, Daniel esteve em vários países da Europa, participando de conferências e ministrando oficinas culturais para crianças, com o intuito de dialogar sobre a cultura indígena. Ele conta que nunca escolheu ser escritor, contudo, o fato de ter algo a dizer sobre seu povo o motivava a fazer com que sua própria história e a de seus ancestrais fosse registrada e disseminada. “A escrita foi tomando conta de mim e, aos poucos, fui me aceitando: aceitando o fato de que minha escrita tem algo a dizer, aceitando ser dono …

    Garimpo invade bacia do Tapajós

    por


    Os riscos apontados para a bacia do Tapajós deixam claro que a região amazônica, apesar do aumento nos índices de queda no desmatamento, continua a ser tratada como o grande almoxarifado de recursos naturais do planeta. As ações planejadas para a maior bacia hidrográfica do mundo não se restringem a planos de construção de uma sequência de usinas rios adentro. Bastou o governo informar que parte das terras que pertenciam às unidades de conservação da Amazônia havia sido desvinculada das áreas protegidas para que se tornassem alvo de ações de garimpo e extrativismo ilegal. A reportagem é de André Borges e publicada pelo jornal Valor, 26-07-2012. A pressão cresceu e o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) tem procurado controlar a situação e deter a entrada de pessoas na região, mas seu poder de atuação ficou reduzido, porque está restrito às áreas legalmente protegidas. “Com a desafetação (redução) das áreas, muita gente está se mexendo para…