Movimento civil mexicano saúda Exército Zapatista


  
Imagen activaSão Cristovão das Casas, México, 16 set (Prensa Latina) O poeta Javier Sicília, líder do Movimento pela Paz com Justiça e Dignidade, saudará hoje os representantes do Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN) em Caracol Município Autônomo de Oventik.

  Sicília, em uma inusual comemoração do Grito de Independência no auditório de São Cristovão das Casas, recordou que a verdadeira independência existirá quando se cumpra o pactuado pelo governo federal e o EZLN em 1996, conhecido pelos Acordos de San Andrés.

Na tradicional celebração, o ativista assegurou que enquanto persista essa pendência da nação com os povos indígenas não haverá paz, nem justiça, nem dignidade.

Sicília recordou igualmente que os zapatistas são uma reserva moral e uma luz para o país, "pois eles atiçaram a consciência nacional", assegurou.

Homens e mulheres desta terra, há 17 anos, levantaram a cabeça e se tornaram visíveis não só aos negados, aos esquecidos, aos desprezados da nação, aqueles que por desgraça nossa independência não lhes fez justiça ainda, declarou.

Também mencionou que às feridas ancestrais e estruturais dos povos índios se soma agora as vítimas da violência da guerra pelo controle do poder e do dinheiro.

"As dores e a dignidade com a qual têm resistido os povos indígenas e mantido em pé o espelho no qual o país deve se olhar, somamos agora as dores e a dignidade que esta guerra nos trouxe", pontualizou.

Sicília acrescentou também que "por isso temos ido do centro ao norte e do norte ao sul, para unir dores, revelar as feridas e nos unirmos em busca da paz e a justiça, que nos são negadas ao longo da história".

Na comemoração da data pátria em São Cristovão das Casas, localidade do estado de Chiapas onde irrompeu o EZLN em 1994, organizações sociais, religiosas, camponesas e cidadãs manifestaram sua solidariedade e simpatia com o Movimento pela Paz.

Da mesma forma denunciaram utilizar o combate do crime organizado como pretexto para justificar a guerra de contra-insurgência que ainda se realiza em Chiapas.

Assim mesmo condenaram o saque dos recursos naturais dos povos indígenas, o maltrato aos imigrantes e a violência do crime organizado.

Nesta sexta-feira a Caravana da Paz continuará seu percurso pelos estados do sul mexicano e encaminha-se para Tabasco.

Desde sua partida, no último dia 9 de setembro do Zocalo (praça central) da Cidade do México, ao qual retornaram o próximo 19, o grupo tem percorrido mais de dois mil quilômetros, com mais de 15 ônibus, várias dezenas de automóveis e uns 600 integrantes, incluídos os meios de imprensa.

O movimento cidadão em seu percurso é acolhido por organizações sociais e cidadãs de cada localidade visitada.

mv/km/es

Postagens mais visitadas