Pular para o conteúdo principal

CAIXA DE PÁSSAROS - NÃO ABRA OS OLHOS - DICA DE LEITURA


Caixa de Pássaros – Não abra os olhos – Dica de Leitura

Sabe aquele livro que você sem muita atenção porque te foi sugerido por uma pessoa muito querida?
Sabe aquele livro que não tem nada para ensinar, mas que você lê apenas por diversão?
Sabe aquele livro do qual não espera nada e ele vai te envolvendo com sua narrativa empolgante e cativante?
Sabe aquele livro de um autor estreante de quem você nunca ouviu falar e que de repente te seduz da primeira a última página e que você não consegue largar até o final?
Foi esta a sensação que tive quando recebi o livro de minha filha. Não foi um presente de natal nem nada. Apenas uma indicação efusiva de leitura.
Peguei o livro e depois de alguns dias já o tinha lido todo. O livro traz uma narrativa muito vigorosa que permite ao leitor visualizar os acontecimentos sem conseguir desvendar um único mistério que os envolve. É um suspense muito bem construído, quase terror, quase Stephen King, quase Hitchcock. Ele gera mal estar, vertigem, angústia. Eu realmente o achei um livro muito interessante e intrigante. Capaz de ficar reverberando dentro do leitor, pedindo passagem, pedindo silencio, pedindo liberdade,
O mais interessante para mim foi o fato de ser um estilo do qual não gosto muito. Assenti lê-lo para poder sair um pouco do lugar-comum de minhas leituras e dar um tempo para minhas preferências literárias. Confesso que me surpreendi. Foi bom para mim. Aprendi algumas coisas sobre narrativas e estilos narrativos; aprendi a observar detalhes que uma boa história precisa ter para prender o leitor. Acho que pode ser essa a motivação para ler o livro para aquelas pessoas que, como eu, não gostam de perder tempo com leituras sem arraigamentos ou leituras sem utilidade. Este é um dos grandes desconcertos da literatura: ela está aí. Ela não é e nem deixa de ser. Cabe ao leitor decidir o que deseja ou se deixar levar por uma indicação de leitura. Como esta aqui. Faça bom proveito. Fica a dica.

Ficha técnica
Título: Caixa de Pássaros – Não abra os olhos
Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca
2015/272 pgs.
Sobre o autor:

Josh Malerman é um autor americano e o vocalista da banda de rock The High Strung. Atualmente vive em Ferndale, Michigan. Malerman primeiro começou a escrever enquanto na quinta série, onde ele começou a escrever sobre um cão que viaja no espaço. Desde então, ele já escreveu vários romances inéditos e seu romance de estréia Box Pássaro foi publicado no Reino Unido e nos Estados Unidos em 2014 e foi muito aclamado pela crítica.

Postagens mais visitadas deste blog

MINHA VÓ FOI PEGA A LAÇO

MINHA VÓ FOI PEGA A LAÇO Pode parecer estranho, mas já ouvi tantas vezes esta afirmação que já até me acostumei a ela. Em quase todos os lugares onde chego alguém vem logo afirmando isso. É como uma senha para se aproximar de mim ou tentar criar um elo de comunicação comigo. Quase sempre fico sem ter o que dizer à pessoa que chega dessa maneira. É que eu acho bem estranho que alguém use este recurso de forma consciente acreditando que é algo digno ter uma avó que foi pega a laço por quem quer que seja. - Você sabia que eu também tenho um pezinho na aldeia? – ele diz. - Todo brasileiro legítimo – tirando os que são filhos de pais estrangeiros que moram no Brasil – tem um pé na aldeia e outro na senzala – eu digo brincando. - Eu tenho sangue índio na minha veia porque meu pai conta que sua mãe, minha avó, era uma “bugre” legítima – ele diz tentando me causar reação. - Verdade? – ironizo para descontrair. - Ele diz que meu avô era um desbravador do sertão e que um dia topou com uma “tribo” sel…

“O DIA DO ÍNDIO É UMA FARSA CRIADA COM BOA INTENÇÃO”

Por ÁTICA SCIPIONE | Em 19/04/2012 Autor de mais de 40 livros infantojuvenis adotados em escolas de todo o país, Daniel Munduruku fala nesta entrevista sobre preconceitos à cultura indígena e sobre a educação para a diversidade.

Daniel Munduruku, índio e escritor

Postado no Blog da TV CULTURA
28/07/2009 | 18h00 | Mariana Del Grande

Daniel Munduruku é o maior escritor indígena do Brasil. Graduado em Filosofia e doutorando em Educação na Universidade de São Paulo, ele tem 34 livros publicados e seu nome ocupa as prateleiras das melhores livrarias do país.

Diferente da maioria dos índios, que ainda lutam para derrubar conceitos antiquados em relação as suas culturas e tentam conseguir espaço para mostrar as tradições, Daniel Munduruku vive da literatura indígena e conseguiu um feito inédito: seus livros são adotados em diversas escolas públicas e particulares de todo o país! Um passo gigante em direção ao futuro: nossas crianças já começam a conhecer o índio de verdade, ao invés daquele ser nu, limitado e inferior que, durante cinco séculos, povoou a imaginação da sociedade brasileira.

Leia abaixo alguns trechos da entrevista que Daniel Munduruku concedeu ao Blog do A’Uwe por e-mail.



Visite o site do escritor: www.danielmunduruku.com.br

Em breve a Loja…